José Omar é reconduzido à chefia do MPE com a meta de dinamizar as ações de planejamento

MPE-TO



O Procurador-Geral de Justiça, José Omar de Almeida Júnior, foi reconduzido ao cargo em solenidade nesta sexta-feira, 14, destacando que em seu novo mandato à frente do Ministério Público Estadual (MPE) dará ênfase no planejamento das ações, incorporando à administração técnicas de gestão mais modernas.

A intenção é agregar membros e servidores do MPE à gestão institucional, chamando todos para contribuir com a elaboração do Plano Estratégico para o período de 2020 a 2028 e com a formatação de um plano de melhoria da gestão, que contará com ações mais imediatas e será formatado no mês de fevereiro.

Considerando o cenário de instabilidade financeira do Estado, que afeta o Ministério Público, José Omar prometeu uma gestão austera, com o controle rígido das despesas de custeio, a fim de que o MPE possa continuar prestando seus serviços com qualidade.

A posse aconteceu no Dia Nacional do Ministério Público, ocasião em que o chefe do MPE reafirmou o compromisso da instituição para com a sociedade tocantinense e a tarefa de atuar para que cada pessoa possa exercer plenamente a sua cidadania.

Ele também reiterou a independência do Ministério Público, mas frisou que é necessário cultivar uma convivência harmônica com os chefes dos poderes públicos. “O exercício de nossas atividades deve ser realizado com coragem, determinação, altivez, destemor e retidão, porém sempre com respeito e serenidade, buscando uma convivência harmoniosa com todos os poderes constituídos e demais instituições. Afinal, é essencial relembrar, não somos maiores nem melhores do que ninguém, somos parceiros de todos, na busca do bem comum e de uma sociedade mais justa, onde todos tenham oportunidades iguais, sem qualquer tipo de discriminação” disse.

O chefe do MPE ainda pediu à Assembleia Legislativa, representada na solenidade de posse pela presidente Luana Ribeiro, que aprove projeto de lei que possibilita aos promotores de Justiça disputar o cargo de Procurador-Geral de Justiça. Atualmente, apenas os 12 procuradores de Justiça podem concorrer, alternando-se no comando da instituição.

José Omar tem 44 anos de dedicação ao Ministério Público, tendo iniciado sua carreira em Goiás. Ele disse que exercerá a atual gestão com a dedicação dos primeiros anos, considerando que comandar o MPE é uma distinção sem igual, uma oportunidade de grande aprendizado e uma aspiração natural dos integrantes da instituição. “Não me faltarão a alegria do trabalho, a sinceridade do esforço, a emoção da tarefa e a lealdade da intenção. Esse é o meu credo. Não os decepcionarei e, com toda certeza, mesmo preso às minhas limitações, procurarei fazer o melhor”, considerou.

Presenças


A posse ocorreu em sessão solene do Colégio de Procuradores de Justiça e contou com a presença dos representantes do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), os conselheiros Fábio Stica, Lauro Machado Nogueira e Valter Shuenquener de Araújo; do chefe de gabinete da Corregedoria Nacional do Ministério Público, Rinaldo Reis; do governador do Estado, Mauro Carlesse; da prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro, além de integrantes do Sistema de Justiça, entre outras autoridades. Também prestigiaram o evento o Procurador-Geral de Justiça do Estado de Minas Gerais, Antônio Sérgio Tonet; o Procurador-Geral Adjunto para Assuntos Administrativos e Institucionais do Ministério Público do Acre, Osvaldo D’Albuquerque Lima Neto; e a promotora de Justiça do Ministério Público de Goiás Marlene Nunes, representando o PGJ Benedito Torres. (Flávio Herculano - Ascom MPE)




-- 
Assessoria de Comunicação do MPE-TO

Comentários